sexta-feira, 6 de junho de 2014

Santa Casa de Ubatuba Possui 800 mil em Caixa e Frauda Credores

Texto: Marcos Leopoldo Guerra

Na sessão da Câmara de Ubatuba, realizada em 03 de junho de 2014, Patrícia Santos, suposta assessora de comunicação da Santa Casa de Ubatuba, ocupou a Tribuna Popular afirmando que iria falar sobre os 160 anos do único hospital de Ubatuba - SP. Na realidade o discurso foi mais uma grande enganação, demonstrando a falta de capacidade e de conhecimento de quem o redigiu, culminando com uma confissão da existência de fraude contra credores.

Preliminarmente sou obrigado a afirmar que a indignação do até então presidente da Câmara, Eraldo Carlos Tenório Todão (Xibiu), com o salário de R$ 2.000,00 (dois mil reais) pagos pela Santa Casa a Patrícia Santos para exercer a função de assessora de comunicação, deve ser alvo de maior atenção dos associados da Irmandade Senhor dos Passos - proprietária da Santa Casa de Ubatuba. Valores em dinheiro nunca são absolutos e sim relativos, ou seja, não é possível dizer se um determinado valor é muito ou pouco, pois somente através da análise de sua utilização é que saberemos se aquele determinado valor é muito elevado ou insignificante. Patrícia Santos conseguiu comprovar que seu trabalho de assessora de comunicação, até mesmo de graça é extremamente oneroso.

Patrícia Santos deveria saber como jornalista, que afirma ser, que o assunto apresentado como tema, para a utilização da Tribuna Popular, não é mera formalidade e sim algo a ser seguido e respeitado. Ao afirmar que falaria sobre os 160 anos da Santa Casa de Ubatuba, Patrícia deveria ter, no mínimo, feito menção aos diversos cidadãos que ocuparam cargos na provedoria, bem como ter agradecido às empresas que por muitas vezes forneceram produtos sem receber, aos funcionários que doaram seu suor trabalhando por um ideal, enfim, deveria ter tomado conhecimento do histórico da Santa Casa de Ubatuba em seus 160 anos de existência. Ao invés dessa linha, Patrícia Santos optou por querer transformar o até então provedor Silvio Bonfiglioli em figura de linguagem, na qual se utiliza uma parte para representar o todo ou vice versa (metonímia). 

Nada melhor que um palanque e um microfone para que incapazes comprovem e confessem publicamente sua falta de noção. O discurso de Patrícia Santos mostra claramente que a disputa pelo suposto poder e a massagem no ego são as únicas metas perseguidas por Silvio Bonfiglioli. Ainda que as realizações de Bonfiglioli fossem algo descomunal, haveria a necessidade de enaltecimento do trabalho de todos que direta ou indiretamente contribuíram para a concretização de tais realizações. Patrícia omitiu o fato de que Silvio Bonfiglioli ocupa função na provedoria desde o fim da intervenção municipal, portanto o mesmo também é responsável pelos erros das gestões anteriores, das quais ele fazia parte, incluindo a gestão desastrosa de Robertson Edwal Martins de Freitas.

Mesmo após ter cometido diversas gafes e demonstrações inequívocas de falta de conhecimento sobre a realidade do hospital, Patrícia Santos foi além do inimaginável, afirmando que a Prefeitura de Ubatuba é a única fonte de recursos da Santa Casa, ou seja, demonstrando ignorar a existência das verbas do SUS, dos convênios e dos particulares (não agraciados com as isenções de Bonfiglioli). O bolo comemorativo de Patrícia Santos foi coroado com a seguinte afirmação textual:
"Por incrível que pareça temos uma reserva financeira de aproximadamente 800 mil."

"A Secretaria de Saúde nos deve 240 mil ao IAC e mais 45 mil de equipamentos."
Com esse discurso insano houve a confissão de que Bonfiglioli está fraudando credores, entre eles os diversos ex-funcionários que aguardam pacientemente o recebimento de suas verbas rescisórias, decorrentes de ações trabalhistas transitadas em julgado. Salários são verbas alimentares e possuem preferência sobre outras verbas. É inadmissível, imoral e ilegal que Bonfiglioli e Patrícia Santos queiram se vangloriar de possuírem dinheiro escondido que não lhes pertence, haja vista que os salários não pagos, daqueles que ajudaram a Santa Casa a permanecer existindo, deve ser quitado.   

   

Um comentário:

  1. Elias Penteado lepoldo Guerra6 de junho de 2014 14:40

    Despudoramente, ou seja, sem vergonha, Patrícia, em seu discurso na Câmara, demonstrou inequivocamente, sem qualquer sobra de dúvidas, que é na realidade Relações Publicas de Silvio, até então provedor da Santa casa de Ubatuba, afirmando que ele realizou mais do que foi feito nos 160 anos de existência da Santa Casa de Ubatuba, sem fazer qualquer menção ao que nesses 160 anos foi realizado pelas Provedorias que antecederam e pelos dedicados funcionários , porque sempre existiram e que lutaram para manter viva essa Instituição, apesar do ataque de aproveitadores, políticos ou privados, mas que pretendem ser políticos ou se locupletarem, que tiraram benefícios pessoais para si próprios...
    “Precisamos AGORA (com o até então atual provedor, Silvio) credibilizar a nossa instituição” disse Patrícia, COMO SE ATÉ ENTÃO NADA TENHA SIDO FEITO PELA SANTA CASA, QUE É OBRA SOMENTE DO ATUAL ATÉ ENTÃO PROVEDOR).
    Em seu nefasto discurso, Patrícia só conseguiu demonstrar que na realidade não é relações publicas da Santa Casa, MAS É TÃO SOMENTE PROMOTORA PUBLICITARIA DO ATÉ ENTÃO ATUAL PROVEDOR.
    É ABSOLUTAMNTE IMORAL IGNORAR TUDO QUE FOI FEITO ATÉ ENTÃO EM PROL DA SANTA CASA, QUE, APESAR DE TUDO, CONSERUIU AINDA PERMANECER E SOBREVIVER, APESAR DOS APROVEITADORESD QUE DELA SE USURPARAM ATÉ HOJE,

    ResponderExcluir